O seu corpo e o exercício: o que mais precisa de saber?

Toda a gente sabe que o exercício é saudável. Os cientistas percebem agora exactamente como.

As consequências de uma vida sedentária estão muito bem documentadas e são dramáticas. Pessoas com baixos níveis de actividade física têm maior risco de várias formas de cancro, doenças vasculares, doença de Alzheimer e morte precoce por várias causas. Isso é no fim da vida. Muito antes disso, a inatividade piora as artroses e os sintomas de artrite, aumenta a dor lombar e leva à depressão e à ansiedade – para não falar da figura física.

É incrível. Se existisse um medicamento que fizesse pela saúde humana tudo o que o exercício faz, seria provavelmente o remédio mais valioso alguma vez criado.

Mark Tarnopolsky, Prof. Phd Neuromuscular and Neurometabolic Disorders

UMA QUESTÃO DE MOTIVAÇÃO

Apesar de todas as campanhas junto do público, os benefícios do exercício para a saúde não têm passado para o cidadão médio. Os seres humanos são notoriamente maus no que toca à conceção dos benefícios ou riscos a longo prazo dos seus estilos de vida. E promessas vagas de que o exercício é “bom para si” ou mesmo “bom para o seu coração” não são suficientemente fortes para motivar a maioria das pessoas a fazer algo que elas veem como uma chatice.

Os seres humanos são, contudo, motivados por recompensas e por isso os especialistas estão tão concentrados em provar que os benefícios científicos do exercício – desaceleração do envelhecimento, bom humor, menos dor crónica, visão ais forte, e a lista continua – são reais, mensuráveis e quase imediatos.

Mesmo em 400 a.C., os médicos sabiam que a dieta e o exercício eram a melhor forma de o fazer. “Apenas comer não mantém um homem bem”, escreveu Hipócrates. “Ele deve também fazer exercício.”

Aqui estão algumas das coisas espantosas que acontecem num corpo em movimento:

Músculos

Músculos

Contrações de esforço repetidas fazem o músculo crescer e pressionam os ossos, aumentando a sua densidade.

Cérebro

Cérebro

O aumento do fluxo de sanguíneo para o cérebro cria novos vasos sanguíneos. O exercício também desencadeia a libertação de químicos que reduzem a dor e melhoram a disposição.

Células de Gordura

Células de Gordura

O corpo queima mais facilmente gordura transformando-a em energia, causando o encolhimento das células de gordura.

Coração

Coração

Andar depressa ou correr faz o coração bombear mais sangue para os tecidos, incluindo os músculos. Esse oxigénio extra, ajuda os músculos a suportar melhor a fadiga.

Cicatrização

Cicatrização

O exercício aumenta o fluxo de sangue na pele, fornecendo nutrientes à epiderme e facilitando a cicatrização de feridas.

Telómeros

Telómeros

O exercício pode proteger os telómeros, as pequenas extensões nas extremidades dos cromossomas. Isto parece abrandar o envelhecimento das células.

Juntamente com o coração, os músculos, os pulmões e os ossos, os cientistas começam a perceber que outro grande beneficiário do exercício é o cérebro.

Uma investigação recente liga o exercício a menos depressão, melhor memória e aprendizagem mais rápida. Os estudos também sugerem que o exercício é, para já, a melhor forma de prevenir ou adiar a ocorrência do Alzheimer, que é, segundo as sondagens, o segundo maior medo depois do cancro, em termos de doenças.

ELIXIR DA JUVENTUDE

A ciência ainda não sabe precisamente por que razão o exercício muda a estrutura e o funcionamento do cérebro para melhor, mas esta é uma área de investigação muito ativa. Até agora, descobriram que o exercício aumenta o fluxo sanguíneo no cérebro, alimentando o aparecimento de novos vasos e até de novas células.

“O exercício é um medicamento regenerativo que restaura e conserta e basicamente repara coisas que estão estragadas.”

Consertos como estes por todo o corpo podem ser a razão por que o exercício mostrou ser capaz de aumentar a duração de uma vida até 5 anos.

Aconselhe-se com o seu médico e faça-nos uma visita! Teremos muito gosto em recebê-lo(a) no Chill Out para uma aula gratuita e para lhe apresentarmos o nosso espaço!

Sinta-se em casa e comece hoje mesmo a prática de exercício regular!

Referências:

  • Texto | Time Magazine, traduzido na Visão n.º1228, págs. 38-48
  • Infografia | Chill Out

Autor: Sérgio André

Deixar comentário